Fim-de-semana? onde?

- Segunda-feira já? céus, não me apercebi", disse hoje pelas duas e qualquer coisa da manhã aos meus botões do pijama.

Não quero com isto que me julguém uma irresponsável do pior. Costumo curtir os 2 dias de férias semanais de forma a que me pareçam 7, sentindo-os passar vagarosamente: pausa grande com um "café" com um amigo na sexta depois de trabalho e depois agenda a funcionar na mesma - "lavar o carro; corrigir exercício turma F; enviar relatório mensal!!!; ir à inbox do trabalho; sacar filme x ou pesquisar livro y; Depilação caraças; Pasta - organizar sem falta, pá.

É verdade. Para a agenda saltam pontos de exclamação e de interrogação a repreender-me a mim própria. Pressão. E funciona, na maior parte das vezes.

Continuando...

Sábado e Domingo pareceram-me um dia apenas. Dessculpo-me com a necessidade que tinha de "mandar cá para fora", de chegar ao limite, de beber uns copos e rir, de disparatar coisas sem fundamento só para me rir depois. Lógico que só a cumplicidade acede à mensagem implícita entre duas ou mais pessoas quando se dizem coisas sem nexo.

Não são sem nexo, sendo assim, não é? digo e contradigo de imediato sem ninguém questionar, a falar ou escrever, eu sei, faço-o porque me habituei a explicar o que quis dizer, quando me poupam esse trabalho faço um amigo, alguém que me compreende e não me toma logo por maluca. E não tenho tão poucos amigos assim, felizmente, mas o que acontece é que muitas vezes não sei que lhes diga (aos outros, que claro, são amigos mas não tão amigos assim, acontece que não consigo estabelecer um laço com alguém que não fala a mesma língua, ficamo-nos pelo que ele/ela faz, acontece ou quer saber da vida, eu acabo por não me pronunciar).

E pronto, era só isto.

...

Feel like writing

Como terapia sugiro-me que escreva. não sei bem o quê, nem de quê. só porquê: porque me faz bem. porque busco o mesmo conforto que em miúda encontrava quando pegava na caneta e gatafunhava no diário - top secret- o que me ia na alma. hoje não me vai nada. ou vai tanto que não sei por onde começar. por esta altura já quem lia isto desistiu, penso. mas afinal não escrevo para ser lida, ou escrevo? não sei dizer. escrevo porque sim, e porque não. infrinjo as regras da sintaxe a cada linha que faço, sei disso. mas não me importo. importo-me com o tempo que passa e não me leva. presa a pensar em ti. morri ali, na ultima vez que me envolveste num beijo bom, cheio de amor (já te expliquei o amor para mim, sinto-o muitas vezes, digam lá o que quiserem, que só sente uma vez, que não se sabe se se o sente, não quero saber).

é a tua inconstância que me fascina. queres e não queres. ora agora sim, agora não. como se vivesse de desafios e não gostasse da estabilidade de um amor constante, seguro, estável. não me basta. pareço precisar de lutar diáriamente para conseguir ter-te. não ser eu própria. recear dizer isto, fazer aquilo, por querer ser ideal para te merecer. Ora isto é amor, senhores. por que carga de água alguém se daria a isto?

muito embora te saiba longe de sentir o mesmo, gosto-te na mesma, quero-te com a mesma força. Um dia declaro-me, conto-te isto tudo e mais algumas coisas que para aqui vão.

Das coisas que se aprende a gostar mais tarde

Porque o paladar mudou, cresceu - o que é como quem diz já está menos esquisito o que por sua vez é como quem diz já come de tudo e não bufa ou porque oh, já agora o que é que ali fica a fazer aquele bocadinho ou porque finalmente aceitamos que nos faz bem. Pode não saber da melhor forma à primeira trinca, provocar uma daquelas caretas em que se torce a boca tipo avc acabadinho de sair e se fecha um dos olhos com muita força como quem tem o sol a bater forte na cara acabada de tirar da almofada e só não fecha os dois porque por acaso até está a andar e precisa de saber por onde vai mas (inspira)...depois, até com crepe de chocolate misturas brócolos.

Regresso ao Blog III - "então, qué feito?"




  1. Escrito num outro blog - só meu que sou ´garganeira´



  2. Feito por escavar motivação para trabalhar - sou verdocas também, faz de conta que Empresária em Nome Individual



  3. Estudado - ainda não acabei aquela merda, pois não



  4. Beijado na boca - só xoxos, coisa-sensaborona-já-não-há-homens-como-antigamente, ou já-não-me-sei-apaixonar



  5. asdknsk



  6. dskjsasasksl

Regresso ao Blog II

regresso definitivamente. pronto. escrevo com a regularidade que me for possível e aprazível. escrevo com a gana do momento, desabafo com o à-vontade com que não falo, com que guardo e explodo ´anos´ depois sem ninguém - nem eu - perceber porquê.

Regresso ao Blog I

Voltei. Ou acho que voltei. Ou pelo menos tenho vontade de voltar. Tenho hoje. E ontem também tive, e, vá, antes de anteontem também bateu cá qualquer coisinha. Vontade de voltar, de rabiscar para aqui desaforadamente os devaneios, os amores e desamores, como disse há um ano atrás. Reparo agora que foi precisamente em Abril do ano passado que me despedi.
Abril saiu-me um mês terrível. Abril águas de mil e não sei quê - isto é dito com convicção pela minha avó, aquela que fala a cantar, acho que já aqui falei dela, se não falei, não falei, paciência, não me apetece falar agora - e pode até influenciar pá. FP 25 de Abril e coiso, também pode abanar aqui qualquer coisa, sabe-se lá...

...

Não torno a dizer Adeus, escolherei um Até Já no próximo espasmo.

beijlos a tflhoddos - desclpfem, tfenho a bloca chleia de amênlhdfsdoas.

Gone With the Wind

Foi a minha primeira experiência com a blogosfera e a ideia inicial foi a de ridicularizar, hiperbolizar um pouco alguns episódios que vivo e outros que não passam de situações fantasiadas (era dar um pedaço de corda e até que me divertia), acabei por ficar e desabafar, fiz disto uma caixa onde despejei emoções, desaforos, amores e desamores…
Sem me aperceber decalquei a minha vida para aqui, não era suposto, não era isso que queria.



O bom disto foi ter conseguido seguidores, tenha sido apenas por simpatia ou porque realmente gostaram do que liam, perderam certamente, pelo menos uma vez, alguns minutos a assistir à tontice que por aqui andou.
Embora caladinhos, estiveram por aí e agradeço por isso, por, de certa forma, me terem ouvido.


beijos e abraços

a desaforada,
Pinkskirt

Do vento

E há gente que não gosta do vento. Porque os despenteia, porque dificulta o que fazem, porque...o raio-que-parta-pela-57ª-vez-escrito-neste-"blog".
Eu gosto.
Gosto de senti-lo soprar-me o cabelo e beijar-me a generosa cicatriz que desde miuda se esconde numa franja pouco farta..Gosto. Quando não há ninguem por perto, mato-lhe a curiosidade e deixo que a descubra... e que liberdade!..sabe bem, o vento.




*foto de Bruno Rua



Às vezes ouço passar o vento; e só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido. Fernando Pessoa.

...

Os olhos só largavam a pista quando sentia bebida a tocar-me o cangote. Sentada a olhar os que dançavam e sem no entanto os ver, balançava o copo, misturava a agua que sobrara do gelo com o licor e imaginava-me a dançar contigo.
With heart on fire I reach out to you tonight, cantava baixinho e já a rir sozinha. Mais uns empurrões para entreter o copo, mais um fresquinho no decote e, quando levantava os olhos para a pista, já não só me imaginava a dançar contigo, fazíamos ali mesmo.



...

Hoje peguei no carro do pai. No rádio tinha um cd que me apressei a ouvir, tocava uma das baladas brasileiras mais lindas de sempre, derreti-me... Soube tão bem entrar no seu mundo, sentir-me a invadir o seu espaço, sentir o romantismo de sempre, o sentimentalecas que papi sempre foi, mergulhar assim uns momentos e lembrar-me de como sempre foi e é o pai. Os desaforos que sempre teve com a mãe, os ciumes quase doentes que tem por ela. Desde que a vi pela primeira vez, disse-me uma noite. Enquanto fumávamos o cigarro da praxe, acendido pela lareira e os nossos olhos não descolavam do lume, como sempre, o pai contou que amava tanto a mãe que até doía.
A assiduidade das brigas, das discussões, dos devaneios, estendem a cadeira ao amor que, depois de sentado a assistir, se levanta e aplaude ferverosamente. Quero uma história assim, igual, sem tirar nem pôr...



Let´s Have Some Fun Time

...

- e tu, que vês naquela ali, na da esquerda?
- a cara de um homem a fumar cachimbo
- pois a mim parece-me uma rosa, um homem com uma rosa vermelha, certamente para oferecer à mulher, enquanto as mãos não se despacham do gigante ramo de outras flores para ela também ele segura-a com a boca.. e atrás dele, se reparares bem, na outra vem um tipo com uma viola e...bla...bla...bla...




Shiu!



Que mania de florear, de repudiar atalhos, de falar de mais.

I come clean

Okay, Margarida, eu confesso: talvez necessite de alguma estabilidade emocional, talvez mimo e carinho dos que vão passando, trocos para beber gin e comprar botas já não sejam ingredientes suficientes e me estejam de alguma forma a faltar os outros, igualmente saudáveis, para equilibrar isto tudo que para aqui vai.

A verdade é que a anorexia sentimental/amorosa/wooks/, a que me entreguei há um ano está já a provocar danos com os quais não consigo mais lidar, por mais que mascare, que tente disfarçar… e isto desde que senti a tua compaixão… Fez um raio de eco nesta cabeça oca… Fecho os olhos e estás lá tu, na bomba de combustível a lamentar por eu não ter ainda filhos nem ser casada com vinte e alguns anos; vou dormir e oiço-te dizer que amanha quem sabe será o dia, oh porra… Agora sinto-me desnutrida, fisicamente carente, n e c e s s i t a d a, parece que agora emocionalmente bulimica.

Quero sexo e amor e sexo com amor, quero sentir que todos os dias faço parte da vida de alguém, que amanha vale o mesmo que hoje, em que partilhei algo tão intimo, bolas, que, ainda que durma sozinha, posso imaginar que está aqui ao meu lado e que não estou a pressionar, porque do outro lado se faz o mesmo, quero dar um passo por mim e por ele também, aproximar-me a cada um dado e não sentir que exercito numa ridícula passadeira de ginásio em que por mais que ande, marche ou corra não saio da merda do mesmo sitio.

Quero tudo isto e mais algumas coisas, entre elas que também vivas a maior parte das melhores coisas que de uma relação se tira, que não seja bluff o que transmitiste verbalmente, porque episódios anteriores me deixaram a saber que por vezes há quem seja demasiado orgulhoso para admitir a infelicidade... Mas isso já são trocos, longas metragens de curtas passagens que produzo assim, à papseco, como se diz por cá.
Acredito, ou faço por acreditar, que no teu ninho há harmonia e entrega de ambas as partes, que se entendem, amam e partilham de tal forma que os vossos filhos adormecem e acordam como os passarinhos, a chilrear docemente (“…piu piu piu”). Se assim for, sou bem capaz de aceitar o teu ombro para chorar na próxima vez e ate sou menina para assinar contrato de exclusividade na bomba onde prestas labor.

...

Mummy diz que à medida que se envelhece deixa-se de conseguir dormir tanto. A tanto mummy chama 8 horas. 8 horas apenas. Nas duas ultimas noites dormi umas já magríssimas 10 ou 12, o sono já suplicava qualquer coisa decente para trincar há cerca de uma semana atrás...
Resultado disto: hoje n prego olho…será a idade? (coço a cabeça e dou um dos mais fortes “franzires” (?) de sobrolho que alguma vez dei).
Já fui á varanda 9 ou 3 vezes, em 2 fumei cigarros, nas outras fui ver se chovia. Não fui nada, fui ver a deslumbrante vista que abraça a minha muitas vezes infantil e senil imaginação quando não esta frio e não me apetece nada: uma praia. Já não são casas nem barracos, estradas nem hipermercados que me encharcam a vista, é mar e areia que me salpica a mente. Não daquele que mete gente que engordura a agua com óleo johnson, broncos montados em tangas da D&G, desportos aquáticos motorizados e tias todas decoradas e de peles penduradas a chamar pela menina Maria-venhâ -cá ou pelo Francisco-não-vá-para-aí, não, daquela areia e agua que nos acalma e afaga a alma…
I decided to read a short story to my kids today. Nothing could please me more than having all those eyes staring at me with such surprise. It was the first time I did so. We were suppose to be doing Easter activities but I changed plans and went to the library. I brough "What colour is the sea?", by Silvia Dubovoy, so that they could recognize some words they´ve already learn.

We sat on the floor and I began to read. at first without any emotion, just reading, then I noticed they weren´t understanding a word...gosh,..what am I doing... let´s start again. and I started again, living it, expressing and doing my best to get them, I did. they loved it. and so did I.





...

Um beijo (do latim basium) é o toque dos lábios com qualquer coisa, normalmente uma pessoa. Na cultura ocidental é considerado um gesto de afeição. Entre amigos, é utilizado como cumprimento ou despedida. O beijo nos lábios de outra pessoa é um símbolo de afeição romântica ou de desejo sexual - neste último caso, o beijo pode ser também noutras partes do corpo, ou ainda o chamado beijo de língua, em que as pessoas que se beijam mantêm a boca aberta enquanto trocam carícias com as línguas.

Wikipédia


Um beijo é um toque, um mimo, uma ternura, um momento, uma carícia, uma atitude. Pode beijar-se com um olhar, um sorriso, uma palavra, um gesto. Infelizes os que só beijam com os lábios.

Pinkypédia

Spitting it out with music 7#



...Now my foolish boat is leaning
Broken lovelorn on your rocks...



There are songs that make you cry, songs that make you laugh, others make you dream and fall in love, you can also spit your anger, sadness or frustration with music. It becomes your phsycologist. I ´ve posted a lot with all those feelings...right now, with this one I can mix them all.
A Linguística Descritiva do Inglês como obrigatoria no curso faz todo o sentido. Pois faz. e estudá-la exaustivamente também. é o que tento fazer não fosse o ganir de um bicharoco desesperado dia e noite me estar a afectar um pouco. talvez pouco seja pouco, muito, okay, muito. muito mesmo.

O lábio superior acompanha o esticanço que o olho provoca ao cerrar com muita força de 5 em 5 seg, as pernas espasmam contra o desgraçado do gavetão e os dedos, esses... ora se atiram de cabeça um de cada vez contra a secretária ora se desfazem em meiguices entrelaçados uns nos outros.


Era só isto.

e a ti, minha querida amiga...

dá-me vontade de dizer que não suporto a ideia de seres humilhada, de te acomodares à relação que tens, de arrastares por tanto tempo a dor, mágoa, raiva e sei lá que mais, que sofro por te ouvir e não poder fazer nada, que estou farta disso mesmo porque a conversa é em modo repeat. se não estás bem, muda-te. parece forte, austero mas é assim mesmo que deve ser e foi isso que disse, a ultima coisa que disse e a que deve ser feita. e porque os filhos... os filhos, porra, crescerão felizes se tu estiveres feliz, tornar-se-ão homens equilibrados se a um equilibrio emocional te resolveres dar. e porque a casa... e porque o carro... e porque...o raio que parta. meros pretextos para continuar.


e porque acho que não ter sido ainda casada, junta ou mãe, não me impede de opinar, não me impossibilita de aconselhar, recomendar quem se quer ouvida, resumo:


Porque raio se há-de arrastar um relacionamento estéril quando se sofre com isso?

sabes que mais manocas?

este azar mascarado de tristeza e por vezes insultado de inabilidade amorosa que vivemos há-de ter fim. riremos disto. não porque à espera temos um charming prince, porque esse provado está que só mesmo nos contos de fada, mas porque ninguém fica só.
Hoje vi a Margarida, minha colega de turma no liceu. A tal que agora 6 anos parecerão 6 horas sem a ver. Encontrei-a, cobrou-me os litros de combustivel com que abasteci o carro e deixou-me a pensar, a engonhar o resto do caminho que era suposto ser a acelerar.



Ehh, há quanto tempo e tal e coiso...!!

Eh, pois é! e então, como te corre tudo?

Estou bem, empregada, com marido e filhos, estou despachada!e tu?

Boa, ainda bem, eu, então, eu ainda não, emprego por enquanto há, não tenho ainda filhos nem marido, mas tudo bem, e que idades têm e como se chamam e bla bla blá...?

Não tens ainda filhos nem marido? eish..não fiques triste, não penses nisso, vais ver que quando menos esperares, puff (sai uma ou outra gotinha, apeteceu-me dizer)



...





Eu não estava triste. Não pensava nisso. Não precisava daquela compaixão. Não quero aquela efectividade emocional nem profissional. Mas...senti-me esquisita. Será esse o unico objectivo da nossa passagem por cá? crescer, ganhar tostãozinho e procriar?

Eu só quero mimo, carinho e atenção dos que vão passando e trocos para beber gin e comprar botas, Margarida. Convenci-me disso.
Tivessemos nos tido algo em comum e a amizade teria tido profundidade suficiente para saberes disso.

...

Lembro-me das cartas que em miúda escrevia. à mãe, ao pai e ao mano que ainda nem ler sabia. recordo essas tal como as que, movida pela outra espécie de amor, escrevinhava durante a noite. que amor tão puro, inocente e servil dedicava. o que chorava angustiada pelo rapaz na altura...e como odiava ouvir dizer que ainda era nova, que não levasse a sério o que sentia pois com o tempo passaria e rir.me.ia disso. realmente tudo passa, o sofrimento atenua, o esquecimento encarrega-se de uma parte e a sobriedade acontece. mas, à medida que crescemos, cresce também a dificuldade em deixar, em largar memórias e sentimentos, pessoas e momentos. e eu gosto tanto disso... não vivo «demasiado agarrada ao passado», como me acusa o Matias, não acho que viva, admito que sobrevivo intrinsecamente ligada ao passado. acho que vivemos todos, não? não me convence essa do "nascer de novo" no sentido mais literal, naquele que pressupõe o delete de tudo quanto foi existência...em que se apaga o mau e bom e se vive como se nunca por cá se tivesse andado.

Shutter Island



A fazer lembrar a insanidade e isolamento da protagonista de Wuthering Heights, Cathy, um creepy-show de argumento bem esgalhado e com imagens quase perturbantes. Dicaprio esteve como sempre, fabuloso. Colou-me à tela.

Spitting it Out with Music #5



And I couldn't hear what you were saying
I couldn't hear what you were saying
I couldn't hear what you were saying


...




En un abismo yo te esperé
Con el abismo yo me enamoré
Pajaro me despertaste
Pajaro no sé por qué


...


Connosco fica a sua incomparável musica...uma mescla entre tradicional mexicana, diz o wikipédia, rock e blues...Eu não sei, não sei definir-lhe estilos, só sei que toca. Palavras, voz, sons, tudo. Emocionante.

Losing my Edge.

No seu tempo não havia Danoninhos? pergunta o pirralho a quem uma deliciosa borbulha branca no lábio já quer deixar claro que está "naquela idade".


Um danoninho enfio-te eu p´lo c...p´laquele sitio por onde há quem diga que só devem sair e não entrar objectos e afins, se não te calas, disse eu.





...


Não disse nada. Mas pensei.

Resumo o meu dia a isto, não me lembro de mais nada. E o teu, como foi?

...

O casal desfez-se em mostras de gratidão, eva chegou mesmo a derramar algumas lágrimas quando se abraçou a azael, demonstração afectiva nada do agrado do marido, que mais adiante não conseguiu reprimir a pergunta que andava a saltar-lhe na boca, Deste-lhe alguma coisa em troca, Que coisa e a quem, isto disse eva, sabendo muito bem a que se referia o esposo, A quem havia de ser, a ele, a azael, disse adão omitindo por cautela a primeira parte da questão, É um querubim, um anjo, respondeu eva, e mais não achou necessário dizer Crê-se que foi neste dia que começou a guerra dos sexos.




Saramago em Caim

Spitting It Out With Music #4




It´s time to get away, it´s time to get away from you
It´s time to get away, it´s time to get away from you
...
...estou há 3h à espera que as pimpolhas se preparem para irmos até ao plateau. estou cansada e com sono e ainda a recuperar da noite anterior...à cabeça vem aquela kizombada do "ela balança mas num pára. balança mas nunca pára". e é verdade mesmo, isto balança mas não pára... bem...parece que é agora, da cozinha oiço: então mas afinal quem é que espera por quem... por mim só 2 minutos até acabar este texto que me está a sair tão mal quanto o cheiro que uma deixou no quarto ao soltar um gás e fechar a porta no gozo.

enfim. era só isto e mais isto que não me sai da cabeça desde a tarde...muito boa musica e letra...





gostava de não passar a noite sem a poder dançar aos saltos. como habitualmente danço. ja falei no pouco jeito que tenho? então, ora bem, isto é assim:


estava a brincar. não vou falar disso. estoy solamente a hacer tiempo para que sintam na pele o que passei nestas 3 h (okay, foi só 1h30, mas gosto de exagerar. gosto muito).


bjs a tds (detesto esta forma de escreverrrr)

Spitting it out with music #3



...

Don't know what to offer you I'm only broke and lonely
And another one goes, and another goes by
Sometimes when I step outside I see you standing right in front of me
And another one goes, and another one goes by...

sei lá.


aos vinte e alguns suposto é saber-se o que se quer na vida, onde se quer chegar, o que se pretende alcançar, que caminhos tomar e que meios utilizar. eu não sei ainda. precupada? não sei também.
seja o que for que termine a fazer a verdade é que só queria poder fazê-lo da melhor forma, poder dedicar-me a algo com ganas, como quando se gosta realmente do que faz. mas também gostava de tempo, queria tempo para tudo. só agora me apercebo do real valor do pequenito. tempo para ler um livro sem me desconcentrar 5 frases depois e perder-me no que tenho a fazer no dia seguinte, no que ficou por fazer hoje, no que terá de ser feito depois de amanhã, e no raio que parta essa merda toda.

quando criança, respondia, tal como todas as criaturinhas, prontamente sempre que questionada quanto ao rumo da vida. que queres tu ser, miúda? que queres tu fazer na vida? dizia querer ser cantora ou médica ou ambas. nem uma nem outra. para a primeira não me parece ser impossível tendo em conta a fraca qualidade de tantas, era mais uma. catraquinhentas que para aí andam, a voz não parece ser realmente um requisito, tudo bem trabalhadinho e até lá ia também.
quanto a enveredar pela medicina...hum...isso pah, já era puxadote, não tenho assim tanto talento.
pensando bem agora...sempre dou a insulina à avó...hum...secalhar até dava para enfermeira...vou pensar melhor nisto.
retomando...
hoje, se tivesse que decidir hoje, queria ser uma mulher decidida, pouco impulsiva, emocionalmente estável e com tempo muito, para dar e vender.
não sou a mulher dos meus sonhos, sou a mulher que sonhei, li isto algures, não me recordo onde mas sempre me confundiu.

Spitting it out with music #2



..

But I'm coming home
I’m coming home
To make it alright,
so dry your eyes

We think the same things at the same time
We just can’t do anything about it

We think the same things at the same time
We just can’t do anything about it...

...

também tu contas o tempo, anseias o momento, deliras com a ansiedade?

também tu te perdes no pensamento, vagueias sem alento, pedes que surja um tal vento que te leve onde morre a saudade?

spitting it out with music...




I don't think you should wait nor a minute more
'Cause she's a girl that you've been waiting for
Funny how the noises that I'm making
Can't drown the sound of my heart breaking

Baby blue I don´t know what to do
When you call to me

...


Funny how this song tells just what crosses my mind right now. and yesterday. and the day before yesterday. and perhaps tomorrow. and the day after tomorrow. It just..fits perfectly.

2009...

was the year I quit my relationship.


the year I quit one of my longest jobs although I voluntereed for anything once a week.

was the year I got so fuckin´ depressed that I tought okay, this is it, you´re going down again but this time forever. Well, guess what...it wasn´t.


2009 was the greatest year I have ever had. I realize that my life is what I want her to be, I can do any fuckin´thing I want if I´m not satisfied with, I´m so goddamn free that makes me wanna do everything at the same time, makes me wanna feel everything at the same time, and that ladies and gentleman, is living, I have learned to live.


I'm dreaming of a white Christmas
With every Christmas card I write
May your days be merry and bright
And may all your Christmases be white...

Porque é Natal...

È Natal, è Natal
Consumismo em massa,
Quando chegar o novo ano
Com sorte ainda trincas uma passa

Mas que crise esquisita esta
Quando passo pelo shopping
´Tá sempre tudo em festa

É comprar e mais comprar
E quando a guita já não bastar
"Em 1514 vezes posso pagar!"

...




Feliz Natal a todos, longe do materialismo e consumismo desenfreado que a esta época actualmente é associado, uma noite feliz, aconchegante, junto daqueles que vos são mais queridos.


Porque assim sei lá como ficar à espera
De um leve sopro do teu ar,
Na minha pele ao passar...



Light touch my hand, in a dream of Golden Skans, from now on...
You can forget our future plans.
Night touch my hand with the turning Golden Skans,
From the night and the light, all plans are golden in your hand.

Plato's lesson on love and marriage

One day, Plato asked his teacher, "What is love? How can I find it?"
His teacher answered, "There is a vast wheat field in front. Walk forward without turning back, and pick only one stalk. If you find the most magnificent stalk, then you have found love."

Plato walked forward, and before long, he returned with empty hands, having picked nothing.
His teacher asked, "Why did you not pick any stalk?"
Plato answered, "Because I could only pick once, and yet I could not turn back. I did find the most magnificent stalk, but did not know if there were any better ones ahead, so I did not pick it. As I walked further, the stalks that I saw were not as good as the earlier one, so I did not pick any in the end. "

His teacher then said, "And that is love."

On another day, Plato asked his teacher, "What is marriage? How can I find it?"
His teacher answered, "There is a thriving forest in front. Walk forward without turning back, and chop down only one tree. If you find the tallest tree, then you have found marriage."

Plato walked forward, and before long, he returned with a tree. The tree was not thriving, and it was not tall either. It was only an ordinary tree.
His teacher asked, "Why did you chop down such an ordinary tree?"
Plato answered, "Because of my previous experience. I walked halfway through the forest, but returned with empty hands. This time, I saw this tree, and I felt that it was not bad, so I chopped it down and brought it back. I did not want to miss the opportunity."

His teacher then said, "And that is marriage."

...Xtranha forma de...xcrever.

a ideia de ter um blog surgiu pela necessidade exacerbada de escrever onde raio quer que seja, para deixar de cansar folhas de caderno, de rasgar as de bloquinhos, blocões e bloquetas, de parar de enviar sms aos amigos mais chegados, umas para que dessem uma risota outras para que se apercebessem da parvoíce que compõe esta minha cabeça...[imaginam a tortura?]


anyways... foi criado e rabiscado, ora compulsivamente ora ultimamente muito pontualmente.
Já deu vontade de fazer magia, fazê-lo desaparecer antes que o Nogueira o veja e me queira lá na equipe mas... decidi deixá-lo por cá não vá dar-me um dos habituais epilépticos nas pontas dos dedinhos e não tenha onde escarrapachar o devaneio.
Não com tanta frequência como inicialmente, mas, vou andar por cá...[ohh...que chatice].


beijokax boax

p.x. escrever com X´s e K´s...ohh.. é tão... fdx :S

Galvanize!



...

Don't hold back...
Cause you woke up in the mornin, with initiative to move, so why make it harder...
Don't hold back...
If you think about it, so many people do, be cool man, look smarter....
Don't hold back...



Mood Uppers

sorrisos. boa musica ao ligar o radio. mensagem daquele amigo que não se vê ha muito. sorrisos. uma ou duas colheres de sopa tão quente que queima a língua mas que nos faz rir depois. saltar à chuva. boa nota no exame. abraços gigantes de pequeninos mas autênticos princípes. tinta na roupa, nos dedos e até nas unhas de entretida me confundir com o melhor do mundo. passeios sem destino hilariantes na companhia do amigo Matias. hamburguers quentinhos com muita coisa boa e pouco saudável e a amiga cozinheira de serviço à espera com uma vontade imensa de os devorar. o cantinho de uma outra mana para me abrigar da chuva e longa conversa acompanhada de riso e cusquice... e a sair dos phones, quando as palavras já só vão ficando para nós próprias, meio sem força, presas pelo sono, a letra reconfortante da musica de Lisa Ekdhal..


Nevo Melanocítico Congénito Gigante, ajuda!

Tal como descrito no primeiro post deste blog, o NMCG, é uma doença rara e com parcos conhecimentos quer dos que dela padecem, como é o meu caso, quer dos que felizmente não têm contacto directo com.

A Internet possibilitou o contacto com outra familia e a partir desse momento tornámo-nos fiéis no que toca a trocar informações, impressões, opiniões e experiencias, trocamos email e falamos por telefone ácerca de procedimentos cirurgicos feitos ou propostos por médicos cirurgiões. Infelizmente a mobilidade geográfica não tem jogado a favor e por isso não conheço ainda a menina que nasceu com o mesmo problema dermatológico que eu mas lá chegaremos.



Aos menos sensíveis, para que saibam do que falo, aqui fica um video de uma criança a ser operada para remover uma parte do Nevo com a técnica do expansor...

http://www.kewego.fr/video/iLyROoafYY8Q.html

e aos mais sensíveis simplesmente um blog com alguma informação de uma mãe lutadora e uma menina linda...


A ajuda que procuramos neste momento é de alguém que nos indique como chegar à TV, um contacto, um meio para... Alguém sabe ajudar?

Estudamos uma ida à Tv para expôr o caso, para o divulgar e fazer chegar a familias que sabemos existir com o mesmo problema. O objectivo é fundar uma associação por cá como existe em França, Estados Unidos, Itália, etc...

Robert Del Naja aka 3D





...man´s a God.
Ontem lá no tasco, enquanto engolia o jantar, o Sandro, nome português escolhido pelos pais, berrava a plenos pulmões e batia com os pés, corando assustadoramente.



Se há coisa que me irrita profundamente é ver uma criança de 2 anos sujeita ao capricho dos pais de ir beber café ... não é que ache que se devam privar da vida social mas é que estes acabam quase sempre por fazer serão, ou ela papa uma novela ou ele vê o jogo...

Um local onde se fuma, onde se faz muito barulho e por vezes se soltam palavroes a ritmo de competição não penso que seja o mais indicado para uma criança passar a noite... se a somar a isto tivermos em conta que nada tem com que se entreter, então...é o cumulo...enfim.


Já com o choro e berreiro do Sandro entranhado, acabei de jantar e nem noto que já se tinha acalmado. Olho para ele e lá estava, no cantinho, encostado à parede e a comer qualquer coisa. Sorrio e vou até lá. Estava entretidissimo.......a comer cascas de amendoim.

A mãe sorriu para mim e eu perguntei se ele costumava comer muitas vezes aquilo pois podiam eles ver na casca do amendoim um qualquer beneficio para a saúde que eu desconhecesse...

- o quê, senhora?!....


Podia o miúdo estar a roer uma bagalheta que a mãe nem notava...